Pular para o conteúdo

autoconhecimento

BUSCA DENTRO DE TI

Busca dentro de ti,
a solução para todos os problemas,
mesmo daqueles que julgares

mais exteriores e materiais.

Dentro de ti está sempre o segredo;

dentro de ti estão todos os segredos.

Seja para abrir um caminho na mata virgem,
Seja para levantar uma parede,
seja para construir uma ponte,
deves buscar antes, em ti, o segredo.

Dentro de ti estão estendidas todas as pontes.
Estão cortadas, dentro de ti, todas as silvas e

lianas que fechavam os caminhos.
Todas as arquiteturas já estão construídas dentro de ti.Pergunta ao arquiteto escondido: ele te dará suas fórmulas.Antes de buscar o machado mais afiado,

a picareta mais rija,
a pá mais resistente,
entra em teu interior e pergunta.E saberás o essencial de todos os problemas
e se te ensinará a melhor de todas as fórmulas,
e te dará a mais sólida de todas as ferramentas.E acertarás constantemente, pois dentro de ti mesmo,
conduz a luz misteriosa de todos os segredos.

Amado Nervo
Lembrando a todos que hoje temos palestra na Nova Acrópole do Setor Universitário e amanhã no Jardim América.
Primeira aula gratuita do CFP Janeiro 2015
Conheça o Acrópole News: Acrópole news

Todas as segundas, na unidade do Jardim América, acontece a Oficina de Poesia com a direção do professor Marcelo Chaves.
Leitura e apreciação de grandes autores, compartilhamento de textos escritos pelos participantes e até oficinas práticas com dicas para quem quer se aventurar como autor nessa bela face da literatura.
A última poesia lida foi: “Em paz” do poeta mexicano Amado Nervo.

 

Segue abaixo uma poesia na integra.

 

Em paz

Perto do meu ocaso, eu te bendigo, ó Vida,
porque nunca me deste esperança falida
nem trabalhos injustos, nem pena imerecida.

Porque vejo no fim de meu rude caminho
que fui eu o arquiteto de meu próprio destino;
que se os méis ou o fel eu extraí das cousas
foi que nelas pus mel ou biles amargosas:
quando plantei roseiras, não colhi senão rosas.

Às minhas louçanias vai suceder o inverno;
mas tu não me disseste que maio fosse eterno!
Julguei sem fim as longas noites de minhas penas;
mas não me prometeste noites boas apenas,
e, afinal, tive algumas santamente serenas…

Amei e fui amado, o sol beijou-me a face.
Vida, nada me deves! Vida, estamos em paz!

Amado Nervo
Amado Nervo

 

 

Conheça nosso canal no Youtube:
Nova Acrópole no Youtube